Trabalho de parto

Lua Cheia_1 outubro 2020

Há anos sonhei que estava a dar à luz: no sonho, vi perfeitamente a cabeça do bebé descer dentro de mim e sair para o mundo. Acordada, e embora desejasse muito ser mãe de carne e sangue nessa altura, compreendi que parte importante de mim nascia de novo naquele instante. Agradeci essa visão.

Estamos todos agora em trabalho de parto, num momento em que as estruturas internas e externas se movem para dar lugar a algo radicalmente novo, que se irá consubstanciar nos próximos anos. Vários mestres têm vindo a anunciar esta nova Terra, a ascensão da consciência planetária na Era de Aquário, em que a liberdade individual se tece na progressiva harmonia coletiva, superando a dualidade entre energias feminina e masculina, qualidades comuns a todos, quer tenhamos corpo de homem ou de mulher (independentemente da pluralidade de orientações sexuais e das reflexões dos Estudos de Género).

O processo da encarnação é complexo e o parto uma das experiências mais traumáticas da nossa existência, exigindo tanto ao bebé como à mãe resiliência, confiança, coragem, flexibilidade e força, qualidades a cultivar nos próximos meses. Importante, pois, honrarmos o corpo, veículo através do qual o espírito se manifesta na dimensão terrena — ama-te, cuida-te, sê a Luz que És.

Image Diana V. Almeida. Street Art, Lisboa.