Mais amor

Lua Nova_11 maio 2021

É curioso ver como as escrituras sagradas de diversas culturas relembram verdades basilares da nossa experiência humana. Somos veículos divinos, em comunicação contínua com tudo o que nos rodeia, desde o mais ínfimo até ao mais amplo nível, que inclui o movimento dos planetas e das estrelas circulando pelo cosmos. Na verdade, nada está separado, como a Física de Partículas demonstrou, e o próprio processo de observação altera o comportamento daquilo que é observado.

Num período de mudança acelerada, em que assistimos à crescente tensão entre as instituições consolidadas, com o seu modus operandi rotineiro, e os novos modelos de organização político-social e económica emergentes, será importante rever as bases (“back to basics”). Em particular (Lua em Touro, signo Terra), importa averiguar como anda a nossa relação com o(s) corpo(s), reconhecendo estarmos integrados numa totalidade viva.

Andar de pés nus no chão (em casa, para começar, e depois lá fora, que o tempo já chama belas caminhadas) e sentir as raízes que nos ligam à nave Mãe. Meditar em gratidão sobre a história da laranja que nos chega à boca, reconhecendo que ela contém sol, água, solo, flor balouçando ao vento, horas de paciente maturação e as mãos de todos aqueles que até nós a trouxeram, como sugere o querido mestre Thích Nhất Hạnh. Abençoar todos os seres que connosco convivem, abrindo o coração à sua Luz.

O Amor começa sempre em ti — o mandamento “Ama o próximo como a ti mesmo” (Mateus 22:39) pressupõe precisamente isso. Como te amas nestes dias turbulentos? Como te podes amar mais, amar melhor? Faz crescer o Amor, irradiando do centro, unido(s) na vibração amorosa que tudo permeia e sustenta.

Image Diana V. Almeida. Street Art, Lisboa.