Manifestar milagres

Lua Nova_15 novembro 2020

A Lua Nova deixa ver o céu estrelado e recorda que somos pó de estrelas, uma alma em movimento pelas galáxias, encarnada agora num corpo para uma experiência de aprendizagem na nave Mãe Terra. As atuais conjugações astrológicas — algumas das quais culminarão a 21 de dezembro, no solstício de inverno, marcando a entrada oficial na Era de Aquário — propiciam o alinhamento com o nosso propósito sagrado, na certeza de que o nosso bem maior serve a elevação da consciência de toda a humanidade.

Vai-se clarificando o serviço sagrado que cada um de nós aqui vem realizar, a dádiva da nossa absoluta singularidade, na certeza de que quanto maior a oferta, mais iremos receber. E o que é a abundância senão a entrega apaixonada ao chamamento do Espírito, em alegria e fé? Reconhecendo a energia do medo que nos circunda rumorosa, podemos escolher transmutá-la a nosso favor, como fazem os marinheiros navegando à bolina.

A fluidez dos elementos — esta Lua mergulha nas águas internas e recorda que a vida é um processo em movimento, mais do que uma série de objetivos a cumprir — permite-nos mudanças extraordinariamente rápidas. E o mundo precisa da nossa assertividade confiante, ancorada na observação atenta e na intuição refinada. É tempo de (re)ver o mapa, definir rota, escolher companhia e manifestar milagres.

Image Diana V. Almeida. Street Art, Lisboa.