O poder da alegria

Lua Nova_14 dezembro 2020

A potência desta lua é ampliada pelo eclipse solar, que dá força ao recomeço aqui delineado. Trata-se de reconhecer que a energia mental por nós projetada cria, de facto, a realidade com que nos confrontamos. Se a nossa grelha de pensamentos e crenças reverberar no medo, vamos efetivamente experienciar a falta de amor.

Conhecemos bem os dias em que saímos de casa imbuídos de espírito positivo, abertos às bênçãos da vida, e tudo flui de modo harmonioso — até os contratempos nos dão ânimo, devido à criatividade gerada para os superar. Em contraste, quando fechamos o coração e nos deixamos consumir pela mágoa e pelo rancor, as horas parecem gerar o caos, bloqueio atrás de bloqueio.

Como podemos, pois, alinhar a nossa bússola interna com o eterno presente, entregues à sabedoria de Deus manifesta na Terra? Como abandonar os desejos violentos que nos consomem, na certeza de que só a confiança na graça divina nos fará prosperar? O primeiro passo será respirar em consciência, reconhecendo que reverberamos no eterno fluxo de expansão e contração, movimento e repouso. Depois cultivar a gratidão, na certeza de que todas as desventuras nos levam a crescer. Enfim, reconhecer e honrar o poder da alegria, a cintilação interna que nos cura da cisão e nos aponta caminho, abrindo portais.

Image Diana V. Almeida. Street Art, Lisboa