A verdade plural

Lua Nova 9 fevereiro 2024

Tendemos a acreditar na objetividade indiscutível dos nossos pontos de vista, descurando o caráter eminentemente subjetivo de toda a perceção. Mais, queremos à viva força que os outros comunguem a nossa verdade, ignorando que talvez apenas sejamos detentores de parte ínfima de um todo complexo que a nossa própria condição humana nos impede de enxergar.

Neste momento histórico em que assistimos à radicalização do discurso em diversos setores da sociedade, será interessante considerar a nossa falibilidade e abrir portas ao diálogo. Trata-se de um movimento tentativo que pretende construir um sentido partilhado através da linguagem, enquanto instrumento de significação coletivo. Se considerarmos a etimologia da palavra “diálogo”, vemos que dia se junta a logos; ou seja, por intermédio da palavra encetamos uma tentativa de criar juntos pontes de entendimento.

Por contraponto, vemos a gritaria e o insulto que sobem audiências nos canais televisivos, apelando aos instintos mais primários do cérebro reptiliano, em que o sentido de sobrevivência se ancora no medo do ataque e na necessidade de defesa, perpetuando um ciclo de violência transgeracional, inscrito no código genético desde os primórdios da humanidade. Claro que esta é a via mais popular, pois grande parte das pessoas anda distraída, presa no ramerrão do quotidiano, onde as contas apertam e o corpo dói, na exigência dos horários de trabalho excessivos. É mais fácil encarar a realidade de um modo simplista, ficando quietos nas nossas categorizações inabaláveis, do que abraçar os desafios do pensamento e a incerteza da vida. É mais fácil refugiarmo-nos na cegueira delicodoce de uma espiritualidade alienada, que nos crê a todos anjos, encarnados por engano no mundo cruel. Tanto uma como outra destas perspetivas são, na verdade, apolíticas (mesmo quando resultam no voto extremista), pois recusam a possibilidade de um engajamento efetivo na construção de uma democracia sustentada no respeito pela verdade plural.

#image_dianavalmeida — Desfile na Avenida da Liberdade, Lisboa, 25 abril 2023.

::::::: Propostas para o 1º semestre de 2024 [clica nos destaques laranja para mais info!] :::::::

  • Sou o Céu_Encontros gratuitos de meditação online — Última segunda-feira do mês_janeiro-junho 2024
  • Círculo de Rainhas_Encontro de mulheres maduras — 3 março_Aldeia da Praia, Sana Maresia_11h-13h
  • Escrever o Coração_ 2 abril, 7 maio, 4 junho_ online_18h30-20h30
  • Caminhar no Coração_7 abril, 5 maio, 16 junho_Serra de Sintra_11h-15h

::::::: Sobre o meu trabalho :::::::

O meu serviço centra-se em três áreas — Energia, Criatividade e Visão

Ofereço uma terapia holística, combinando energia, taças tibetanas, cristais, sinergias de óleos essenciais personalizadas e (se a tua pele quiser ser tocada) massagem intuitiva — Afinar o Coração. 

Proponho workshops de desenvolvimento humano, unindo escrita e meditação, ou mentorias criativas individuais para desenvolveres um projeto de escrita ou trabalhares um tópico específico — Escrever o Coração

Realizo Rituais Fotográficos que honram a beleza singular de cada Ser — Retrato Sagrado e Corpo Vivo: Deusa Grávida.

Queres saber mais, ou marcar uma sessão? Entra em contacto comigo através da caixa de mensagens no final deste site.

Grata. Bem-hajas!

Partilha:

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top